Pesquisa do Incaper avalia adubação em déficit hídrico para plantios de palma forrageira na Região Norte do ES

Uma pesquisa sobre os efeitos da adubação nitrogenada em plantios de palmas forrageiras está sendo desenvolvida pelo Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) na região Norte do Espírito Santo. Após três anos de avaliação, os agricultores capixabas terão acesso a técnicas de cultivo em campo e demais recomendações específicas para a realidade do Espírito Santo.

O projeto, financiado pelo Fundação de Amparo à Pesquisa do Espírito Santos (Fapes), intitula-se “Efeitos da adubação nitrogenada sobre a qualidade de Opuntia ficus e Nopalea cochellinifera em diferentes regimes hídricos na Região Norte do Espírito Santo”. Ele é coordenado pelo Agente de Extensão em Desenvolvimento Rural do município de Mucurici, Felipe Lopes Neves, que também é Mestre em Produção Vegetal.

Segundo o extensionista, o objetivo principal desse projeto é avaliar os efeitos da adubação nitrogenada em palma forrageira sob os efeitos do déficit hídrico no solo. “Essas plantas são reconhecidas como tolerantes à falta d’água e eficientes no uso de recursos hídricos em situação de déficit, como a vivenciada pela Região Norte do Estado nos últimos anos. O projeto vai avaliar as condições de nutrição das plantas, o comportamento fisiológico e morfológico em condições de supressão hídrica, bem como suas características bromatológicas com vistas ao aumento do teor de proteína”, explicou Felipe Lopes Neves.

Para desenvolver o projeto na prática, será implantado um experimento no campus do Instituto Federal de Educação do Espírito Santo (Ifes) localizado no município de Montanha. Ele será conduzido com o auxílio de extensionistas do Incaper e demais integrantes do projeto, além de técnicos agrícolas da Prefeitura de Mucurici e um bolsista de nível superior.

“No primeiro ano do projeto, será realizada a aquisição de equipamentos. No segundo e terceiro ano, será implantado o experimento, feitas as avaliações in loco.  No terceiro ano também serão realizadas as análises laboratoriais e estatísticas com a divulgação dos resultados”, disse o coordenador do projeto.

Resultados esperados

Entre os principais resultados esperados com a realização desse projeto está a ampliação dos conhecimentos sobre a cultura da palma a fim de viabilizar seu cultivo na região Norte do Espírito. Além disso, a palma tende a se apresentar como uma nova alternativa de forrageira para os rebanhos dos agricultores familiares, de forma a amenizar o problema da falta de alimento em períodos de estiagem prolongada.

O projeto prevê, entre suas ações mais significativas, atividades de extensão e popularização do uso dessa planta forrageira na alimentação animal junto aos produtores, técnicos e estudantes, estimulando o plantio nas pequenas propriedades rurais. “No início do projeto, já realizamos um dia de campo com objetivo de divulgar conhecimentos sobre a cultura, tendo em vista que é uma tecnologia de cultivo nova dentro do Estado. Já realizamos a entrega de cerca de mais de 20 mil mudas para pequenos produtores de alguns municípios capixabas. Ao final do projeto, será realizado um seminário técnico com os estudantes do curso técnico em agropecuária do Instituto Federal (IFES) do campus Montanha para divulgação dos resultados da pesquisa. Dessa forma, o projeto busca envolver ações de ensino, pesquisa e extensão junto à comunidade”, falou Felipe.

Instituições parceiras

O projeto contará com o apoio de professores, pesquisadores e extensionistas responsáveis pela condução do experimento e que contribuirão nas análises e interpretação dos dados, ensino dos fundamentos da pesquisa em campo e da importância da cultura na alimentação animal por meio das ações de extensão que promovam a divulgação da tecnologia gerada.

Também participam do projeto os extensionistas do Incaper Felipe Lopes Neves, Adriano Spínola e Lázaro Samir; o pesquisador da Embrapa Mandioca e Fruticultura de Cruz da Almas-BA, Carlos Ledo; o professor e pesquisador da Universidade Estadual de Santa Cruz em Ilhéus-BA, José Augusto; o professor e pesquisador da Universidade Federal de Goiás, Thiago Carvalho; e a professora do Instituto Federal de Educação do Espírito Santo Veridiana Bassoni.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here